Sim, em 1994. Apple?! Steve Jobs?! Não, não. Roger Fidler foi quem deu uma de Nostradamus.

“Provavelmente ainda usaremos computadores para produzir informação mas no futuro usaremos o tablet para interagir com a informação.”


Fique embasbacado ao ver o vídeo jurássico imaginando um tablet em pleno funcionamento, e como as pessoas na época interagiriam com o gadget:

O profético expert ainda fala mais sobre a transição das mídias de comunicação:

“Novas formas de comunicação tendem a herdar características dos meios antigos por um período. Com o passar do tempo, claro, eles evoluem e adquirem características próprias. Eu acredito que o mesmo acontecerá com a transição do papel para plataformas digitais, seja um jornal, uma revista ou um livro. No começo, eles manterão as características básicas dos produtos antigos…  E isso é absolutamente compreensível; nós não queremos importunar ninguém com manuais sobre como ler jornais.”

Tudo isso em uma época em que acessar a internet era uma tarefa árdua, caríssima e tão lenta quanto um modem de 14.4Kbps de velocidade.

É difícil dizer em que momento a ideia de Roger Fidler se perdeu. Talvez o mundo não estivesse preparado para a novidade, ou a estrutura que o gadget demandaria era sofisticada demais para a época.

Mas nada se perde, tudo se aproveita. Certo, Steve Jobs?!